Educação como Desenvolvimento Humano

[PodCast 03 – Educação como Desenvolvimento Humano – v.02 – 20200909-20h00]

Olá, aqui é Eduardo Chaves, outra vez.

No podcast anterior procurei mostrar que, por vezes, conceitos antagônicos de educação se escondem por detrás da mesma palavra: “educação”.

Dos dois conceitos que mencionei no podcast anterior eu certamente prefiro aquele elaborado por meu amigo, Prof. Toninho, de Campinas:

“Educação é o processo através do qual as pessoas se tornam capazes de definir seus próprios sonhos e de desenvolver as competências e habilidades necessárias para transformar esses seus sonhos em realidade.”

Há gente que acha que esse conceito é bonito mas, talvez, um pouco poético e romântico demais. Por isso quero dar uma outra versão desse mesmo conceito, que lhe é basicamente equivalente, mas que tem uma feição mais técnica (embora eu goste mesmo da visão mais poética e romântica…). É esta a visão mais técnica:

“Educação é um processo de desenvolvimento humano, através do qual seres que nascem sem saber nada, e sem saber fazer quase nada, e, por isso, totalmente dependentes, mas que possuem grande capacidade inata de aprender, se tornam capazes de saber, e de saber fazer, um grande número de coisas, em especial, a partir de um determinado estágio de seu desenvolvimento, e mesmo que não sozinhos, em isolamento. É isto que aprendem: (a) aprendem a definir, por si e para si mesmos, um projeto de vida; (b) aprendem a dominar e construir as competências e habilidades necessárias para transformar esse projeto de vida em realidade; e, assim, (c) aprendem a dar sentido à sua vida e a alcançar realização pessoal plena.”

Esse conceito de educação, nessa forma citada, fui eu que construí, mas não o fiz sozinho. Além da ajuda do Prof. Toninho, contei com a ajuda de mais muita gente. Ficam aqui registradas quatro pessoas, duas das quais, amigas minhas. (a) Com Mahbub ul Haq, economista paquistanês, autor de Reflexões sobre Desenvolvimento Humano, e criador do Índice de Desenvolvimento Humano, descobri que a educação não é um processo de transmissão de informações e conhecimentos de uma geração para outra, mas, sim, um processo de desenvolvimento humano, que cada indivíduo precisa trilhar; (b) com Peter Senge, engenheiro de sistemas e filósofo americano, autor do livro A Quinta Disciplina, descobri que aprender não é absorver informações e conhecimentos e se tornar mentalmente obeso (como dizia Rubem Alves), mas é, sim, um processo de se tornar capaz de fazer aquilo que se deseja fazer e que não se conseguia fazer antes; (c) com Antonio Carlos Gomes da Costa, pedagogo brasileiro, que passou boa parte de sua vida ajudando adolescentes e jovens da FEBEM a dar sentido à sua vida, e que popularizou no Brasil o conceito de “protagonismo juvenil”, descobri que os projetos de vida que levam à realização pessoal são aqueles escolhidos livre e autonomamente por cada pessoa, e que projetos de vida que pais, pastores, padres, professores, políticos, a mídia, em especial a televisão e o cinema, tentam nos vender, já prontos e acabados, esses não dão sentido à vida e não realizam as pessoas; (d) finalmente, com meu querido amigo Rubem Alves, teólogo e filósofo, descobri que, quando a educação é vista como um processo de construção de nossa própria vida e dar a ela o sentido contido em nosso projeto de vida, ninguém fica desmotivado, e, mesmo que encontre momentos difíceis, vai resolutamente em frente, para poder dizer ao final da vida, como disse o poeta Pablo Neruda, no título de sua autobiografia, Confesso que Vivi…, e ter certeza de que sua vida foi construção sua, em decorrência de um sonho que ele aprendeu a sonhar por si próprio…

A educação é isto: ela tem que ver com a nossa vida, sendo um processo permanente de construir a nossa vida e dar sentido a ela. Por isso é do interesse de cada um ocupar-se de sua educação. O interesse não é da sociedade, embora ela se beneficie do fato. O interesse é de cada individual, de per si.

Muitos indivíduos, porém, muitas vezes, se desinteressam da educação quando ela é apresentada como um processo de transmissão, de uma geração para outra, da cultura ou do saber historicamente construído pela humanidade; ou quando ela é apresentada como um processo que visa a atender às demandas da sociedade ou da economia (convencional ou digital) por trabalhadores bem treinados ou profissionais bem preparados…

Mas quando a educação é vista como o processo pelo qual nos tornamos aquilo que queremos ser, as coisas mudam totalmente de perspectiva e ganham sentido, e nossa educação passa a ser a ferramenta mais importante que temos ao nosso dispor.

Até a próxima vez, e muito obrigado.

Eduardo Chaves

[PodCast 03 – Educação como Desenvolvimento Humano – v.02 – 20200909-20h00]

Em Salto, 10 de Setembro de 2020.

O áudio do podcast (um pouco modificado em relação a este texto, para caber em cinco minutos) foi disponibilizado em 11 de Setembro de 2020 no sistema de podcasts Educa5, disponível na rede de podcasts do Spotify, da Apple, do Google, etc. A este podcast, em particular, foi dado, pelo Educa5, o título de “O Que eu Descobri sobre a Educação“. Clique neste link para ouvir o podcast: http://gg.gg/ec-03.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s